ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: UM ESTUDO DE CASO COM BASE NO PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DO CONTRATO DE GESTÃO

Autores

  • Vanderlei Sampaio Faculdade Alfa
  • Luciana Amorim INTERVALE
  • Fabrizio Meller da Silva UEM

Palavras-chave:

Estratégia de Inovação, Sustentabilidade, Administração Pública e Contrato de Gestão.

Resumo

Este estudo através da ótica gerencial, tem como objetivo analisar e compreender as estratégias de inovação tecnológicas sustentáveis adotadas na administração pública em face do ambiente de mudanças e do cenário de competitividade. Além disso, busca apresentar os conceitos relacionados a essa temática e práticas de inovação tecnológica sustentáveis utilizadas atualmente no âmbito público. Nessa perspectiva, é inegável que o tema inovação e sustentabilidade têm assumido um papel de grande relevância para todo segmento organizacional, principalmente pelo fato de proporcionar o desenvolvimento sustentável e pelo fato de aferir fatores qualificadores no contexto da competitividade. Entende-se que um estudo nesta área irá cada vez mais contribuir para a viabilização da Inovação sustentável nas organizações. O contrato de gestão é um método estratégico contemporâneo utilizado no âmbito da administração pública, com base na necessidade de otimizar, racionalizar, aproveitar da melhor forma possível os recursos públicos e consequentemente busca aferir melhores resultados. Assim, através dessa pesquisa bibliográfica, a inovação e sustentabilidade no cenário atual sob as perspectivas do enfoque gerencialista demonstra-se como um modelo de gestão de grande relevância no contexto organizacional focando especificamente no uso do contrato de gestão como instrumento gerencial. Nesse contexto, através desse estudo constatou-se a importância de promover ações que visem à inovação e sustentabilidade para o desenvolvimento e sucesso das organizações. Entretanto, a inovação e o desenvolvimento sustentável no âmbito público por intermédio da contratualização de metas e objetivos têm proporcionado melhor desempenho organizacional. Desta forma, investir em ações inovadoras e sustentáveis tem gerado bons frutos, além disso, pode contribuir de forma significativa para as organizações, seja pelo ato de inovar, incrementar ou por estimular sua própria capacidade empreendedora.

 

 PALAVRAS-CHAVE: Estratégia de Inovação, Sustentabilidade, Administração Pública e Contrato de Gestão.

Referências

Ansoff, Igor H. et alii (coord.), Do Planejmento Estratégico à Administração Estratégica, São Paulo, Atlas, 1983.

BARBIERI, J. C. et al. Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 2, p. 146-154, 2010.

BEUREN, I. M.; GUBIANI, C. A.; SOARES, M. Estratégias de legitimidade de Suchman evidenciadas nos relatórios da administração de empresas públicas do setor elétrico. Revista de Administração Pública, v. 47, n. 4, p. 849-875, 2013.

BORGES, A. F.; FREITAS JUNIOR, D. B.; OLIVEIRA, E. R. Estratégia e Administração Pública: o Caso do Programa "Choque de Gestão" do Governo do Estado de Minas Gerais. Revista Pretexto, v. 9, n. 3, art. 4, p. 79-106, 2008.

CASAGRANDE JR, Eloy Fassi. (2001) Apostila da Disciplina Desenvolvimento Tecnológico Sustentável, Programa de Pós-Graduação em Tecnologia – PPGTE. Curitiba: CEFET-PR, 50p.

CEPAM, F. P. L., O município no século XXl: cenários e perspectivas. São Paulo: Hamburg, 1999.

CHRISTENSEN, C.; ROSENBLOOM, R. ; Explaining the attacker’s advantage: technological paradigms, organizational dynamics, and the value network.; Research Policy; 24; 233-357; 1995.

DUTRA, J. S. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo:

Atlas, 2002.

GRAÇAS RUA, Maria das. Administração pública gerencial e ambiente de inovação: o que há de novo na administração pública federal brasileira. In: Administração pública gerencial - a reforma de 1995: ensaios sobre a reforma administrativa brasileira no limiar do século XXI. Brasília: Ed. UnB/ENAP, 1999.

KEMP, R.; FOXON, T. J. Tipology of eco-inovation. In: MEI project: measuring eco-inovation. European Commission, 24 p. ago. 2007.

MACMILLAN, H. TAMPONE, M. Management process, content, & implementation Oxford University Press. In: Implementing strategy: realizing strategic intent. Strategic, c.16, p.185-196, 2001.

OLIVEIRA, G.J. Contrato de gestão. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008.

PACHECO, R. S. Contratualização de resultados no setor público: a experiência brasileira e o debate internacional. In: Congresso Internacional Del Clad sobre la Reforma del Estado y de la Administracion Pública, 9, Madrid: nov.2004.

PECI, A.; FIGALE, J.; OLIVEIRA, F.; BARRAGAT, A.; SOUZA, C. Oscips e termos de parceria com a sociedade civil: um olhar sobre o modelo de gestão por resultados do governo de Minas Gerais*. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 6, p. 1137-1162, 2008.

ROMEIRO, Ademar R.. Economia ou economia política da sustentabilidade? Texto para Discussão. IE/UNICAMP, Campinas, n. 102, set. 2001. Disponível em www.unicamp.br. Acessível em 14 de junho de 2014.

SAMBIASE, M. F.; FRANKLIN, M. A.; TEIXEIRA, J. A. Inovação para o desenvolvimento sustentável como fator de competitividade para as organizações: um estudo de caso Duratex. Revista de Administração e Inovação, v. 10, n. 2, p. 144-168, 2013.

Souza, P., M., L., de; gestão de riscos e a sustentabilidade em orgãos públicos: (LATEC/UFF) – 2011.

SILVA, R. F. C.Turismo, desenvolvimento sustentável e direitos humanos: o programa “Viaja Mais, Melhor Idade”. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 6, n. 3, p. 290-304, 2012.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. ; Gestão da Inovação; Reino Unido; Bookman; 2008.

WRIGHT, P.; KROLL, M.; PARNELL, J. Administração Estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas, 2000.

WOSNIAK, F. L.; REZENDE, D. A. Gestão de estratégias: uma proposta de modelo para os governos locais. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 3, p. 795-816, 2012.

Downloads

Publicado

2021-07-22